Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Espírito e graça’ Category

No Teatro S. João cai uma perna de carneiro do camorote!

«Nicolau fez uma grave mesura, estendeu o braço para dentro com o lenço pendurado e respondeu solenemente:
– Foi deste camarote, sem dúvida, que uma das senhoras deixou cair a parte respectiva do bode?
– Do bode?! – perguntou o chefe dos canibais, forçando com um arranco interior a descida do bocado que lhe entupia os gorgomilos.
– Do bode – tornou Nicolau – se vossa senhoria quer que seja bode, carneiro, porco-espinho ou como é que deva chamar-se o animal comido e ex-proprietário desta pá.»
(In O Sangue)

 

Read Full Post »

«Este editor Chardron é feliz como três burros. Vende tudo, e prospera com obras que arruinariam outro editor.»
(Camilo Castelo Branco, in Carta a António Feliciano de Castilho, de 1873)

Read Full Post »

«- Ora, meu amigo, vamos a isto. Estou farto de palavreado. Obras, obras é que se quer. Seja homem, e atenda lá ao que lhe vou dizer…»
(In A Infanta Capelista)

 

Read Full Post »

Melancolia

«A melancolia, sem flatulência nem perturbações estomacais, a que tanto ataca os inteligentes como os idiotas, era esse o meu fito.»
(In Coração, cabeça e estômago)

 

Read Full Post »

«A melancolia, sem flatulência nem perturbações estomacais, a que tanto ataca os inteligentes como os idiotas, era esse o meu fito.»
(In Coração, cabeça e estômago)

 

Read Full Post »

«Está ainda solteira Elisa, a irmã mais nova de Corina. Tem hoje trinta e um anos. É ainda formosa. Se o leitor é solteiro e rico… (não será mau que seja rico, para maior segurança), pode dar a este romance um suplemento, casando com aquela senhora, que está aqui em Lisboa. Eu de muita boa vontade, na segunda edição deste romance, darei a possível imortalidade ao acto.»
(In Estrelas Propícias)

Read Full Post »

«O Abade de Espinho, um dos mais ricos da diocese de Viseu, pecara na mocidade. Coisa rara, senão singular, em abades.»
(In O Retrato de Ricardina)

 

Read Full Post »

Older Posts »