Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Extratos da obra’ Category

«…verdadeira amiga estou em crer que só pode sê-lo a mulher que é mãe…»
(In A Enjeitada)

Read Full Post »

«A liberdade é um direito que cada homem exerce de ser igual a outro homem perante uma lei ilustrada.»
(In As Três irmãs)

Read Full Post »

«No começo da quaresma de 1542 chegaram à irlanda. Presenciaram uma luta cruelíssima de infortúnio…»
(In Horas de paz)

Read Full Post »

«Chorar é bom! Quem me dera
Nos tempos que já lá vão!
Quando moço o coração
Ao romper da primavera
Sobressaltado tremia;
E da terra toda em flor
Juntava à doce harmonia
doces lágrimas d´amor!
(In Cancioneiro alegre)

Read Full Post »


«A mulher pode tudo, com um pé sobre a dignidade, e outro sobre o coração.»
(In Memórias de Guilherme do Amaral)

Read Full Post »


«O carnaval é uma exposição anual destes infelizes.»
(In Cenas contemporâneas)

Desenho: Júlio Pomar

Read Full Post »

«O amor repartido é o amor sem consequências perigosas.»
(In A neta do arcediago)

Read Full Post »

Marido!

«Contrariar um rapaz em matéria de casamento com fulana para o casar com sicrana, é o mesmo que privá-lo de ser bom marido da primeira, e obrigá-lo a ser mau marido da segunda.»
(In A sereia)

Read Full Post »

«Era em noite de janeiro de 1847.
As ruas de Vila Real estavam cobertas de neve; o rio Corgo revolvia-se em bramidos fora de seu leito, vomitando às margens troncos anosos, estalados ao furor da tempestade, e o vento redemoinhava desde os picos despinhados do Marão…»
(In Delitos da mocidade)

Read Full Post »

«Olhe que há duas riquezas: a do oiro e a da honra. Às vezes, juntam-se, raras vezes…»
(In O Demónio do ouro)

Read Full Post »

Older Posts »