Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘burro’

«Um burro produz sempre um burro, ou um macho, é conforme; um alarve não gera sempre outro alarve!»
(In O retrato de Ricardina)

 

Anúncios

Read Full Post »

«- E do barão de Vougado – ajuntou o capelão.

– Que é um burro – tornou o morgado para fazer sentir ao padre a distância intelectual que o separava do outro pretendente.

– A respeito disso – replicou o padre João – se ele é burro ou letrado, não se lhe importa a moça saber. Vossa Excelência não tem visto meninas da cidade, a saberem gramática, francês, geografia e várias ciências, casarem com ricaços burríssimos?»
(In Quatro horas inocentes)

Read Full Post »

«Este editor Chardron é feliz como três burros. Vende tudo, e prospera com obras que arruinariam outro editor.»
(Camilo Castelo Branco, in Carta a António Feliciano de Castilho, de 1873)

Read Full Post »

«O burro é triste por fora, mas alegre por dentro; e não poucas vezes se ri dos seus homónimos de dois pés.»
(In Cancioneiro alegre)

 

Read Full Post »

Cabeça…

«Na cabeça é que estão os olhos que descortinam o futuro. A cabeça é quem vê o primeiro barranco em que é parvoiçada cair. Certos sujeitos, quando cuidam que o ideal os eleva, burrificam-se. Chegada a ocasião de se destramarem habilmente de uma rede, escouceiam, enredam-se mais, e descambam na lama.»
(In O Esqueleto)

Read Full Post »

Camilo nas suas constantes deambulações pelo país, em especial pelo norte, deslocava-se de burro, a cavalo, de caleche e, às vezes, de comboio.
No ateliê “De burro ou de caleche” vamos ver as diferenças entre os meios de transportes da aldeia e da cidade. Construir puzzles gigantes…
Vai ser divertido!

Read Full Post »

Um burro
Camilo necessitou de comprar um burro para o seu serviço e foi à feira a Famalicão. Viu um que lhe agradou e entrou em negociações com o vendedor – que era cigano. Ia a fechar-se o negócio quando o cigano proclamou, no intuito de valorizar o animal:
– Para correr não há melhor! Só digo isto a vossa senhoria: se sair daqui, montado nele, à uma hora da manhã – às duas está em braga.
– Já não me convém…
– Não lhe convém porque razão?
– Ó homem, pois que quer você que eu faça em Braga às duas da manhã?

Read Full Post »

Older Posts »