Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão’

Read Full Post »


M EM B R O  H O N O R Á R I O  D A  O R D EM  D O  I N F A N T E D . H E N R I Q U E 

M EM B R O  H O N O R Á R I O  D A  O R D EM  D A  L I B E R D A D E


COMUNICADO DE IMPRENSA

TERESA VEIGA VENCE O

GRANDE PRÉMIO DE CONTO “CAMILO CASTELO BRANCO”

APE/C.M. DE VILA NOVA DE FAMALICÃO

Um júri constituído por Daniel Jonas, Isabel Cristina Mateus e Maria Carlos Loureiro, reunido na Sede da APE, decidiu por unanimidade, atribuir o prémio ao livro “Gente Melancolicamente Louca“, de Teresa Veiga
(Tinta-da-China).

O júri sublinhou:

Pela elegância despojada da sua escrita, Teresa Veiga revela um notável domínio do tempo, espaço e ritmo narrativos, incorporando várias leituras e sintetizando-as fulgurantemente na sua voz. É com mestria que a autora trata o género, de forma a envolver o leitor nas diferentes atmosferas narrativas que constrói.”

O Prémio, instituído em 1991, pela Associação Portuguesa de Escritores com o patrocínio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, destina-se a distinguir uma obra em língua portuguesa de um autor português ou de país africano de expressão portuguesa, publicada em livro em 1.ª edição, no decurso do ano de 2015.

O valor do prémio é de 7.500 euros.

A data do acto formal de entrega será oportunamente anunciada.

Lisboa, 29 de Junho de 2016
A Direcção

Rua S. Domingos à Lapa, 17 | 1200-832 LISBOA ∙ PORTUGAL | Telefone +351 21 397 18 99 | Fax +351 21 397 23 41 e-mail: info@apescritores.pt | http://www.apescritores.pt

 

Read Full Post »

“Camilo é uma figura tutelar na minha vida. Desde muito cedo que me habituei a vê-lo como um familiar, porque falava-se muito de Camilo lá em casa e ainda antes de conhecer a sua obra já o conhecia. Por isso, representa muito para mim estar associada a Camilo Castelo Branco e receber um prémio com o seu nome”, afirmou a escritora.

Read Full Post »

Mário de Carvalho vence a 22.ª edição do Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, com a obra “A liberdade do pátio”.
É a segunda vez que o autor é distinguido, já em 1991 vencera este prémio, atribuído pela Câmara Municipal de Famalicão e pela Associação Portuguesa de Escritores.
O anúncio do prémio foi feito no dia 2 de outubro de 2014, no escritório de Camilo Castelo Branco, em S. Miguel de Seide.

Read Full Post »

O Gabinete de Informação, Formação e Tecnologia (GIFT) da Direcção Regional de Educação do Norte disponibilizou a reportagem que realizou, durante o Ano-Lectivo 2009-2010, sobre o projecto «Amo-te Escrita», desenvolvido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, através da Casa de Camilo, o qual envolveu cerca de uma centena de alunos que frequentaram o quarto ano de escolaridade em diversas escolas deste concelho.

O projecto elaborado pelo Museu de Seide no âmbito do ateliê de engenharia textual “Amo-te Escrita” foi coordenado pelo formador Pedro Chagas Freitas, e é fruto do desafio lançado a quatro turmas de Escolas do 1.º Ciclo de Riba de Ave, de Fontelo, de Louredo e de Gondifelos.

Durante o presente ano lectivo, as crianças visitaram a a residência do escritor, assistiram à leitura encenada da obra “Amor de Perdição”, receberam formação específica na área da escrita criativa e foram incentivadas a criar um conto sobre o amor. 
Os textos finais encontram-se agora reunidos num livro repleto de imaginação, criatividade e muita paixão.


Fonte: Gabinete de Informação, Formação e Tecnologia – DREN

Read Full Post »

O escritor Afonso Cruz é o vencedor do Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco relativo ao ano 2009. A obra “Enciclopédia da Estória Universal”, editada pela Quetzal mereceu a unanimidade do júri da Associação Portuguesa de Escritores, constituído por Clara Rocha, José António Gomes e José Ribeiro Ferreira e coordenador Fernando Miguel Bernardes. O Prémio, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão com o apoio da Associação Portuguesa de Escritores tem o valor pecuniário de 7500 euros.
No seu blog, afonso-cruz.blogspot.com, o escritor define-se da seguinte forma: “Afonso Cruz escreve e, além de ilustrador, realiza filmes de animação – às vezes de publicidade, às vezes de autor –, toca e compõe para a banda de blues/roots “The Soaked Lamb”. Produz a sua própria cerveja e usa chapéu. Em Julho de 1971, na Figueira da Foz, era completamente recém-nascido e haveria, anos mais tarde, de frequentar lugares como a António Arroio, as Belas Artes de Lisboa, o Instituto Superior de Artes Plásticas da Madeira e mais de meia centena de países”.
Em “Enciclopédia da Estória Universal” o escritor reúne, em 133 páginas, várias ficções curtas, que no seu todo compõem uma breve descrição do que pode ser entendido como uma exploração da meta-literatura, em que os autores e as personagens da ficção se confundem ou coincidem, ocultando as barreiras entre quem escreve e é escrito, entre o real e o fictício.
“Este é um livro de factos – e de ficções, burlas, citações – esquecidos ou ignorados pela História e encruzilhados uns nos outros em forma de labirinto. Um espaço entre mordomos e coronéis, metáforas, mentiras, assassínios, deuses duplos, cabalistas fabulosos, ascetas hindus e narrativas absolutamente orientais”, lê-se na contracapa.
Refira-se que o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco já galardoou escritores como Mário de Carvalho, Maria Isabel Barreno, Maria Velho da Costa, Maria Judite de Carvalho, Miguel Miranda, Luísa Costa Gomes, José Jorge Letria e José Eduardo Agualusa foram alguns dos distinguidos, anteriormente, com este galardão. Teresa Veiga foi a única escritora que bisou este Prémio.
Fonte: Portal do Município de Vila Nova de Famalicão

Read Full Post »

Na abertura da IV edição do Festival de Teatro Amador – Terras de Camilo, que decorreu ontem, dia 13 de Fevereiro, pelas 21h30, no auditório da Casa de Camilo – Centro de Estudos, em S. Miguel de Seide, o Grutaca – Grupo de Teatro Amador Camiliano voltou a apresentar a comédia “O Lobisomem”, escrita em 1850 por Camilo Castelo Branco e publicada postumamente.
A peça foi estreada no ano passado, a 17 de Maio, no âmbito do Dia Internacional dos Museus.
O público presente pôde apreciar um interpretação segura da peça que é, segundo Alberto Pimentel, a história provavelmente exacta do seu galanteio e casamento com Joaquina Pereira, sua primeira mulher. Refere também que esta comédia tem um alto valor psicológico, sobretudo biográfico, porque o autor, retratando-se a si mesmo no papel de protagonista, o estudante disfarçado de lobisomem, faz-se rodear de todo o cenário que circunscreveu a sua vida em Ribeira de Pena, no tempo em que ali casou com Joaquina, do Lugar de Friúme.
O Festival decorrerá neste local entre 13 de Fevereiro e 28 de Março de 2010, e conta com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

Read Full Post »