Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Casa de Camilo’

A Casa de Camilo promove no mês de julho Oficinas de Verão. As atividades serão orientadas pelos técnicos da Casa de Camilo e decorrerão no Museu e no Centro de Estudos.

O programa inclui:

Bilhar humano: O bilhar era o jogo predileto de Camilo e do filho Jorge. Neste jogo terás de mostrar a tua habilidade não com o taco, mas com os pés.

Peddy paper “Descobrir Camilo”: Percurso pedestre, no qual se exploram os locais ligados às vivências de Camilo na freguesia de São Miguel de Seide.

“Diz-me onde vives, dir-te-ei quem és”: Viagem-jogo à casa construída por Manuel Pinheiro Alves, brasileiro de torna-viagem, e que foi residência de Camilo Castelo Branco de 1863 a 1890. Nela descobriremos relações surpreendentes entre a nossa identidade pessoal e sociocultural.

Maria Moisés pelas tuas mãos: Oficina de expressão plástica inspirada na novela “Maria Moisés”, de Camilo Castelo Branco.

Dá corpo a Maria Moisés: Com base na novela “Maria Moisés”, de Camilo Castelo Branco, propomos uma oficina de expressão dramática, com a finalidade de explorar sentimentos e emoções e os conceitos de família e de solidariedade.

Publico alvo: Crianças dos 6 aos 12

Duração: 1:30

 

Anúncios

Read Full Post »

Associando-se às Festas da Cidade, a Casa de Camilo promove uma Caminhada Camiliana entre a Praceta Cupertino de Miranda de Vila Nova de Famalicão e a Casa de Camilo, proporcionando aos participantes algumas surpresas agradáveis durante o trajeto.

Programa:

09h30 – XIV Caminhada Camiliana – de Famalicão a Seide S. Miguel
Concentração: Praceta Cupertino de Miranda

Percurso: Praceta Cupertino de Miranda, Rua Vasconcelos e Castro, atravessa a Av.ª Gen. Humberto Delgado, Av.ª Francisco Sá Carneiro, Parque da Devesa (até ao portão do lado nascente), Rua de Santiago, R. Horácio, R. Portela, Rua da Murgeira, Rua Nossa Senhora de Fátima, Rua Dr. Francisco Alves (Paragem na Quinta d’A Casa ao Lado – n.º 1058), Rua Carlos Alves, Rua Ribeira e Forno, Rua Padre António do Xisto, Rua da Agrinha Rua Joaquim Araújo Alves, EM 573; Av.ª S. Miguel e Casa de Camilo – Centro de Estudos.

Colaboração cénica: GRUTACA, Grupo de Teatro Amador Camiliano; GRUCAMO, Grupo Caminheiros de Montanha; ACV, Associação Cultural de Vermoim; Fraternidade Nun’Alvares de Avidos; GRECULEME, Grupo Recreativo e Cultural de Lemenhe e Projeto Amarcultura; Outros …

Colaboração musical: Associação de Tocadores e Cantadores ao Desafio Famalicense, Grupo de Zés Preiras

Organização: Município de Vila Nova de Famalicão

Apoio: Casa de Camilo, Junta de União de Freguesias de Seide, Carnes Primor e Vieira de Castro – Produtos Alimentares SA

 

 

Read Full Post »

1 de Junho, às 10h, cerimónia de encerramento dos ateliês, com a apresentação de uma coletânea de contos realizados no âmbito do Ateliê de Escrita Criativa, ministrado pelo Dr. Pedro Chagas Freitas e ilustrada com desenhos e colagens resultantes do Ateliê de Ilustração, orientado pela Dr.ª Gabriela Sotto Mayor.

Escolas que participaram nos ateliês:

– EB Conde São Cosme, Turma 4AA

– EB Ruivães, Turma L4A

– EB Louro/Mouquim, Turma 4G

– EB Nuno Simões, Turma NS4

Read Full Post »

Os alunos da turma do 4.º AA, da Escola Conde São Cosme, vão comemorar a Noite dos Museus, participando no trilho camiliano “A Cangosta do Estevão”, e depois, já com a noite como parceira, irão visitar a Casa de Camilo.
As “Boas insónias” serão na sala de exposições do Centro de Estudos.
Se conseguirem!

Read Full Post »

18 maio, sábado, Casa de Camilo – Museu estará aberta das 10 horas às 23, entrada gratuita.

Às 16h00, apresentação na Casa de Camilo – Centro de Estudos, do volume 4, das Obras de Camilo Castelo Branco, “O Carrasco de Victor Hugo José Alves” e “O Senhor do Paço de Ninães”, da editora Glaciar.

 

Read Full Post »

No dia de aniversário, apresentação dos Estudos Camilianos 12: Leituras da Natureza em Camilo Castelo Branco.

 

Read Full Post »

«Mesmo os escritores de génio são filhos da sua circunstância – da família em que nasceram, do meio em que viveram, dos autores que leram, das mulheres que amaram. A grande literatura, essa em que se revê, em cada época, o homem universal, não perde o seu estatuto por ser subjectiva e situada.»

(In O Essencial sobre CAMILO, de João Bigotte Chorão)

 

 

Read Full Post »

Older Posts »