Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Casa de Camilo’

A iniciativa tem como objetivos principais fomentar o gosto pela leitura dos textos de Camilo Castelo Branco e proporcionar a partilha de abordagens e de interpretações da prosa do romancista de São Miguel de Seide.

Para cada sessão é sugerida a leitura prévia de um texto de Camilo, o qual é cedido gratuitamente pela Casa de Camilo, desde que solicitado para o endereço eletrónico geral@camilocastelobranco.org.

Formador: João Paulo Braga
Local: Casa de Camilo – Museu (S. Miguel de Seide, Vila Nova de Famalicão)
Público-alvo: maiores de 16 anos (número máximo de 30 participantes por sessão).

 

Anúncios

Read Full Post »

 

Read Full Post »

A escrita inglesa desenvolveu-se no século XVIII. Esta técnica de escrita específica foi influenciada pelo uso de penas metálicas cada vez mais pontiagudas, bem mais duradouras que as plumas de ganso, e que permitiam maior velocidade na escrita. Espalhou-se a partir do séc. XIX pelo Império Britânico e em toda a Europa onde acompanha a revolução industrial, assumindo as novas funções de uma escrita comercial. Foi muito valorizada com a expansão do comércio inglês. Numa época onde não havia ainda computadores ou mesmo de máquina de escrever, era a escrita da administração, do ensino e do comércio. É uma escrita muito inclinada e unida. A inclinação era originalmente de 45º, passando a ser de 52º, assumindo assim, um traçado menos inclinado e mais elegante. O seu traçado é baseado no controle de formas elípticas, que se conectam sem ruturas.

Público-alvo | maiores de 16 anos (grupo até 30 pessoas)
Duração | 15 sessões de 2h00 | 1 vez por semana à 4ª feira das 17h00-19h00
Local | Centro de Estudos Camilianos, S. Miguel de Seide, V.N. de Famalicão
Gratuito | Inscrição por e-mail geral@camilocastelobranco.org
(indicar nome, telemóvel, email).
Oferta de Diploma de participação.

 

 

 

 

Read Full Post »

 
Peça adaptada da obra “Amor de Perdição”, de Camilo Castelo Branco, tendo como suporte a gravação do teatro radiofónico produzido pela Emissora Nacional, em 1953, e a manipulação de figuras em recorte de papel.

Uma colaboração da Rádio e Televisão de Portugal, encenada pela Companhia de Teatro Mandrágora e apresentada ao público pela equipa do Serviço Educativo da Casa de Camilo.

 

 

Read Full Post »

A iniciativa tem como objetivos principais fomentar o gosto pela leitura dos textos de Camilo Castelo Branco e proporcionar a partilha de abordagens e de interpretações da prosa do romancista de São Miguel de Seide.
Para cada sessão é sugerida a leitura prévia de um texto de Camilo, o qual é cedido gratuitamente pela Casa de Camilo, desde que solicitado para o endereço eletrónico geral@camilocastelobranco.org.


Beatriz de Vilalva
: Era o nome da encantadora bastarda do capitão-mor da Lixa.
Vivia, com sua mãe, na quinta de Vilalva, com que fora dotada, aos quinze anos, para casar, aos dezoito, com o morgado de Pildre, Vasco Pinto de Magalhães.
Isto são cousas antigas. Era no ano de 1834. Há quarenta anos. Um século doutras eras, quando vinte anos eram mocidade inocente, e, aos quarenta, o homem tenteava com tímido pé os umbrais do mundo. Agora …

Formador: Sérgio Paulo Guimarães de Sousa
Local: Casa de Camilo – Museu (S. Miguel de Seide, Vila Nova de Famalicão)
Público-alvo: maiores de 16 anos (número máximo de 30 participantes por sessão)

Read Full Post »


Convidado:

Eduardo Rêgo

Com uma educação de base acentuadamente humanista (11 anos de seminário), Eduardo Rêgo abandonou os estudos de teologia, praticamente no final do curso.

Ingressou na Rádio Renascença em 1978, tendo sido o primeiro realizador daquela casa, Ex aequo com dois colegas de profissão.

Nos últimos 30 anos (RTP + SIC) tem dedicado muito do seu tempo à sensibilização ambiental, aprofundando conhecimentos e assinando a versão portuguesa (tradução, legendagem, revisão científica e locução) de milhares de documentários da natureza. Do elenco de maravilhas naturais a que deu voz salientam-se O PLANETA TERRA e HOME – O mundo é a nossa casa.

O estilo inconfundível de comunicar granjeou-lhe o reconhecimento do público e da comunicação social, tendo sido eleito, por várias vezes, A VOZ DO ANO.

A identificação com a temática da sustentabilidade desencadeou uma grande procura do seu testemunho por parte das universidades portuguesas e outras instituições, levando-o a assumir, como tema preferencial das intervenções que faz, o binómio Literacia – Comunicação.

Ao fitar o mapa do mundo, reparou que, por mais organizações que existam, empenhadas na defesa do ambiente e na promoção da sustentabilidade, nenhuma, até hoje, se apresentou suficientemente despojada e disponível para envolver tudo e todos com a força de um abraço.

Foi esse desassossego de alma que despertou nele a ideia de um projeto fortemente agregador, capaz de criar laços entre os múltiplos agentes que dão o melhor de si pelo equilíbrio do planeta.

E surgiu o… LOVING THE PLANET – GAL (Global Association for Life) de cuja direção é presidente.

Filme a exibir:

HOME – O mundo é a nossa casa
Realizador: Yann Arthus-Bertrand
Narrador: Eduardo Rêgo
Género: Documentário
RClassificação: M/12
Origem: França
Ano: 2009
Dur.: 95 min.
Sinopse: Em 200 mil anos na Terra, a Humanidade tem perturbado o equilíbrio do planeta, estabelecido por quase 4 biliões de anos de evolução. O preço a pagar é alto, mas é tarde demais para ser pessimista: a Humanidade tem apenas 10 anos para inverter esta tendência e tornar-se consciente da extensão total da destruição da Terra e alterar os seus modelos de consumo. Yann Arthus-Bertrand, o realizador, traz-nos imagens aéreas únicas de mais de 50 países para partilhando esperanças e receios num filme que lança a primeira pedra do edifício que, todos juntos, teremos de reconstruir.

Read Full Post »

«Deixai falar estas almas de hoje requeimadas e áridas, como o chão onde as folhas do outono se revolvem sopradas pelo suão, mirradas dos afetos nobres.»
(In Crónicas)

 

Read Full Post »

Older Posts »