Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Crónicas’

«O homem de bom siso ri-se a olhar para dentro de si próprio.»
(In Crónicas)

Read Full Post »

«A vida é uma farsa de cordel, e o homem um cordel com muitas farsas.»
(In Crónicas) 

 

Read Full Post »

«A mim assusta-me mais a corrupção das palavras que a das consciências.»
(In Crónicas)

Read Full Post »



«A ti, a minha lira das canções soidosas! A ti, os enlevos desta alma não compreendida! A ti, os sonhos da manhã, os pensamentos do poeta em tardes de outono, os êxtases do coração em noites de lua cheia, rica de saudades, e confidente de amores que, só no seio de seu esplendor, se desafogam.»
(In Crónicas)

Read Full Post »

«O cidadão gordo e de sua natureza impermeável, se um grande calor lhe filtra as massas compactas, principalmente no teatro por noites de julho, transpira caldo: o seu suor é esverdinhado, e tem o aroma acre da couve-galega e a forma globulosa do feijão fradinho.»
(In Crónicas)

 

Read Full Post »

«A virtude pobre é uma irrisão. O trabalho honesto geme sob a dependência e o desprezo.»
(In Crónicas)

Read Full Post »

«Deixai falar estas almas de hoje requeimadas e áridas, como o chão onde as folhas do outono se revolvem sopradas pelo suão, mirradas dos afetos nobres.»
(In Crónicas)

 

Read Full Post »

É carnaval

«O Porto começa hoje na sua vida delirante.
O carnaval vem despertar esta grande aldeia do torpor de onze meses. A febre de alguns dias consome-lhe a sensibilidade, e daqui a um mês ele aí está na sua moleza…»
(In Crónicas)

Read Full Post »

«O prémio da virtude é uma boa consciência…»
(In Crónicas)

Read Full Post »

«…mulher feia não sei que case alguma»
(In Crónicas)

Read Full Post »

Older Posts »