Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Guimarães 2012’


Quando a cadeia se torna espaço de cultura acontecem “As Novas Memórias do Cárcere”. Cento e cinquenta anos depois de Camilo Castelo Branco, um grupo de reclusos do Estabelecimento Prisional de Guimarães passou ao papel o quotidiano e assim nasceu um filme que a RTP seguiu e que vai ser desvendado entre Outubro e Novembro.
Fonte: RTP

Anúncios

Read Full Post »


No âmbito do projeto «Nos 150 anos de Memórias do Cárcere», várias figuras públicas foram convidadas a ler excertos da obra de Camilo Castelo Branco, Memórias do Cárcere, com o objetivo de dar a conhecer a experiência do escritor enquanto recluso da Cadeia da Relação do Porto.
Na sequência deste convite, Ruy de Carvalho e Alice Vieira vão estar no Estabelecimento Prisional de Guimarães, nos dias 28 de abril e 4 de maio, respetivamente.
«Nos 150 anos de Memórias do Cárcere» é uma organização da Câmara de Famalicão e da Casa de Camilo que tem como propósito fazer com que os reclusos, através de oficinas de leitura, de escrita e de cinema possam, à luz de Camilo, aprender a exprimir, através da criação artística, literária e audiovisual, os seus sentimentos, experiências e memórias.

Fonte: GuimarãesDigital

Read Full Post »


“Amor de Perdição”, um filme baseado na obra homónima de Camilo Castelo Branco, realizado em 1978 por Manoel de Oliveira.
Esta será a terceira e última exibição do “Ciclo Amor de Perdição”, uma homenagem ao 150º aniversário da obra de Camilo Castelo Branco.
O ciclo, apresentado no Teatro S. Mamede,  incluiu a mostra de três produções cinematográficas do livro de Camilo Castelo Branco. O primeiro filme apresentado foi realizado por George Pallu, em 1921, e teve o acompanhamento ao piano por Nicolas McNair.
A obra de António Lopes Ribeiro, de 1943, foi a segunda a ser exibida.
Manoel de Oliveira, o realizador mais antigo e idoso, ainda em atividade, é uma das referências do mundo cinematográfico que integra o projeto “Histórias do Cinema” da Capital Europeia da Cultura.

Read Full Post »


Convidado: 

João Bonifácio Serra é Professor Coordenador da Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha do Instituto Politécnico de Leiria e investigador do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.
Foi vogal executivo da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República (2008-2009) e é actualmente Presidente da Fundação Cidade de Guimarães, a entidade responsável pelo projecto Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura. Entre Setembro de 2009 e Agosto de 2011 foi Administrador Executivo da mesma entidade, com o pelouro da programação artística e cultural.
É autor de diversos estudos sobre questões de história política portuguesa dos séculos XIX e XX, publicados em Portugal e no estrangeiro. Colaborou em obras colectivas sobre história da República e do republicanismo. Foi comissário de exposições relativas à mesma temática. Exerce funções de direcção científica na Casa dos Patudos de José Relvas – Museu de Alpiarça.
Foi assessor e Chefe da Casa Civil do Presidente da República Jorge Sampaio (1996-2006), integrou a Comissão Nacional para as Comemorações do Dia de Camões e das Comunidades Portuguesas, foi membro do Conselho de Imprensa.
Detém diversas condecorações estrangeiras e nacionais (Ordem da Liberdade e Ordem Militar de Cristo). É desde, 2011, membro do Conselho Nacional das Ordens Honoríficas Nacionais.

Filme a exibir:


Meia-noite em Paris
Realizador: Woody Allen
Sinopse: Comédia de Woody Allen que decorre em Paris e conta a história de uma família que viaja até lá em negócios, e de um casal, prestes a casar, que durante a sua estadia vai viver um conjunto de experiências que lhes muda a vida. É ainda a história do amor de um jovem pela cidade de Paris, e da ilusão, que quase todos partilhamos, de que a vida dos outros é sempre melhor do que a nossa. Meia-Noite em Paris é o postal de namorados de Allen à cidade da Luz, uma cidade que ele coloca, em estima, ao nível de Nova Iorque.

Read Full Post »

O ano de 1862 é, sem dúvida, marcante na literatura camiliana, na medida em que regista não somente a escrita de ‘Amor de Perdição’ como também a edição de ‘Memórias do Cárcere’, texto que exprime a experiência de Camilo Castelo Branco, preso por adultério, na Cadeia da Relação do Porto.

150 anos depois, a Câmara Municipal de Famalicão e a Casa de Camilo organizam, no âmbito da Capital Europeia da Cultura Guimarães 2012, Oficinas de Leitura, de Escrita e de Cinema com os reclusos do estabelecimento prisional de Guimarães; para que estes possam também, à luz de Camilo, aprender a exprimir, através da criação artística, literária e audiovisual, os seus sentimentos, experiências e memórias.
Guimarães2012

Read Full Post »