Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘pobre’

«O orgulho, em homem pobre, é uma paixão terrível. No rico, expande-se em pompas, que deslumbram os seus inimigos.»
(In Mistérios de Lisboa)

 

Anúncios

Read Full Post »

«…
– Então como podes tu sacrificar a tua vida a um ente abominável?
– Porque não tenciono sacrificar-me… O escravo há-de ser ele.
– Não te entendo! O escravo há-de ser ele!…. de que modo?
– Obrigá-lo-ei a servir os meus caprichos.
– Quais caprichos?
– Todos.
– Vais ser esposa infiel?
– Não.
– Vais ter carruagem, e vestidos ricos?
– Vou.
– E se te não der carruagem, nem vestidos?
– Há-de dá-los.
– E se não der?
– Divorcio-me… metade da sua riqueza é minha.
– E queres dar escândalo?
– Escândalo é ser pobre. Vejo-te hoje muito moralista.
– E tu pareces-me filósofa de mais.
– Antes isso.»
(In A Filha do Arcediago)

Read Full Post »

«É sempre o pobre recrutado para as fileiras que guerreiam o rico.»
(In Lágrimas abençoadas)

Read Full Post »

«A virtude pobre é uma irrisão. O trabalho honesto geme sob a dependência e o desprezo.»
(In Crónicas)

Read Full Post »

«Porque o pobre há-de ser sempre o pobre com os seus vermes no manto esfarrapado, e o rico há-de ser sempre o rico com os seus vermes no coração.»
(In Dispersos de Camilo)

Read Full Post »

«Estes anéis, dera-mos Maria do Adro…
Era filha de uma viúva pobre. Tinha dezassete anos. Fora bonita até aos quinze; depois, uma enfermidade emagreceu-lhe a face, amareceu-lhe a pele, e sugou-lhe a seiva que viçava em flores por todo aquele rir e olhar de descuidosa inocência. À mudança de semblante correspondeu a da alma.
Fez-se melancólica e taciturna. Não arranchava para dançar de roda, nem cantava nas espadeladas do linho. Chamavam-lhe “nona” as azougadas companheiras, e ela o que respondia às provocações era: “Andai, andai, raparigas; eu também me diverti assim, quando tinha saúde.»
(In Duas horas de leitura)

Read Full Post »