Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Vingança’

«Se o mundo é justo, não o direi eu: vingança justa creio que não há nenhuma por aí.»
(In O Bem e o mal)

 

Anúncios

Read Full Post »

«Este mundo é um hospital de doudos.»
(In Vingança)

Read Full Post »

«Entre o homem e a vingança interpõe-se o tempo.»
(In Anátema)

Read Full Post »

«Aquele que foi levantado pela virtude não pode ser abatido pela fortuna.»
(In Vingança)

Read Full Post »

«Como se pintam estes olhos que eu vejo? Os noveleiros, com a bossa descritiva, quando descrevem olhos assim, pintam quanto há, menos olhos. Fazem o que podem, e o pincel pouco mais faz que eles. Para certos olhos sei eu que há uma tela: é o coração; e só essa é digna.
E, portanto, não descrevo Laura; digo, como em conversação, singelamente, o que pode dizer-se, com naturalidade, se, assim, puder.»
(In Vingança)

Read Full Post »

Quando nascerá o génio que nos conte devagar, fenómeno por fenómeno, as metamorfoses que temos visto? Que comédias e que tragédias desde o leme dum barco de pipas até à vara duma presidência municipal! Desde a tripeça da palmilhadeira de aldeia até à banqueta carmesim para a portinhola do coupé da viscondessa!…
Valha-nos Deus! Há tanto romance que fazer, e eu, por pouco, me ia esquecendo que estou fazendo um, e o leitor, mais esquecido que eu, está a dormir, talvez… Se acordar bem-humorada, aqui tem o conto, onde mo cortou a metediça filosofia:…
(In Vingança)

Read Full Post »

Eu não tenho imaginação, tenho memória, memória do que vi, do que senti, do que experimentei. Se descarno as pinturas, se descrevo uma cena friamente, é por que assim os olhos, que a viram, a levaram à alma, que a imprimiu em si. Se me deixo ir nos arrobos de coração, que se ala para o impercetível, desesperado de incorporar na palavra o que só é de foro íntimo da alma, é por que, em tal situação, na presença de tal facto, ouvindo tal história, vendo tal mulher ou homem, senti assim, compreendi assim o que talvez outros e outras almas vissem e entendessem de outro modo.
O certo é que não imagino, ou apenas imagino, se pode dizer-se imaginar, épocas, lugares, nomes, miudezas, generalidades. Não há outro lavor neste e nos outros romances.
(In Vingança)

Read Full Post »

Older Posts »