Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Vinte horas de liteira’

A iniciativa tem como objetivos principais fomentar o gosto pela leitura dos textos de Camilo Castelo Branco e proporcionar a partilha de abordagens e de interpretações da prosa do romancista de São Miguel de Seide.

«-Conta-me agora uma história sem dinheiro – pedi eu ao meu amigo.
-Queres então uma história sentimental?
-Isso.
– História de sentimento aldeão? Eu não posso contar de outras. Bem sabes que da vida das cidades nada sei.»
(In História das janelas fechadas há trinta anos)

Download do PDF “História das janelas fechadas há trinta anos”
http://www.camilocastelobranco.org/doc.php?co=85
Formador: João Paulo Braga
A sessão realizar-se-á na plataforma Zoom
Inscrição para o endereço eletrónico: geral@camilocastelobranco.org

Read Full Post »

A iniciativa tem como objetivos principais fomentar o gosto pela leitura dos textos de Camilo Castelo Branco e proporcionar a partilha de abordagens e de interpretações da prosa do romancista de São Miguel de Seide.

“- Conta-me agora tu uma história – disse António Joaquim
– Eu costumo vendê-las – respondi com o grave e sisudo desinteresse da arte. –  Contava-te um conto bonito, se me desses este brilhante, que me vai cegando como o esplendor de Jeová ao povo escolhido.»
(In História de um brilhante, Vinte horas de liteira)

Download do PDF “História de um brilhante”
http://www.camilocastelobranco.org/doc.php?co=76
Formador: Sérgio Guimarães de Sousa
A sessão realizar-se-á na plataforma Zoom
Inscrição para o endereço eletrónico: geral@camilocastelobranco.org

Read Full Post »

A iniciativa tem como objetivos principais fomentar o gosto pela leitura dos textos de Camilo Castelo Branco e proporcionar a partilha de abordagens e de interpretações da prosa do romancista de São Miguel de Seide.

«- Este Miguel de Barros, – disse eu a António Joaquim – se não tivesse meninos, havia de conversar agradavelmente na cultura da abóbora e do feijão frade…
– Cala-te aí, selvagem! – atalhou o meu amigo. – Se tu soubesses que as criancinhas foram os arcanjos deste homem!…
– Então é coisa de história o amor do teu amigo aos meninos?»
(In Amor paternal, Vinte horas de liteira)

Download do PDF “Amor paternal”

http://www.camilocastelobranco.org/doc.php?co=72

Formador: Sérgio Guimarães de Sousa
A sessão realizar-se-á na plataforma Zoom
Inscrição para o endereço eletrónico: geral@camilocastelobranco.org

Read Full Post »

«Não há crime absolutamente imperdoável; também não há virtude imaculada.»
(In Vinte horas de liteira)

Read Full Post »

«-Então vocês chamam esqueletos às histórias que apanham de orelha? É bem posto o nome, atendendo à magreza dos livros que fazem!… Que histórias queres tu? De dinheiro?
– E sem dinheiro; servem-me todas.
– Queres tu uma que sucedeu há três meses no meu concelho? Se duvidares, vai lá sabê-lo.»
(In Vinte horas de Liteira)

A Comunidade de Leitores consiste no encontro de um grupo de pessoas que se juntam, periodicamente, para conversar sobre livros cuja leitura foi proposta pelo dinamizador. A experiência da leitura é sempre íntima e individual, feita em casa por cada um dos participantes. Depois essa experiência é enriquecida pela partilha de opiniões, comentários e pontos de vista que ocorre nos encontros, permitindo a descoberta de outras formas de interpretar o livro analisado.

Técnico responsável: João Paulo Braga
Público-alvo: maiores de 16 anos (grupo até 30 pessoas)
Duração: 1h30
Local: Casa de Camilo – Centro de Estudos

 

 

Read Full Post »

«A gente repara mais nas lágrimas da penitência que nas alegrias da alma inocente.»

(In Vinte horas de liteira)

Read Full Post »

«Eu considero honrada a inteligência universal por aqueles que empregam em enriquecer-se.»
(In Vinte horas de liteira)

Read Full Post »

«A Terra sem o Sol é uma coisa de fazer pena e aflição, como se ela houvesse de voltar ao caos primitivo…»
(In Vinte horas de liteira)

Read Full Post »

«O absurdo não fica melhor justificado com a linguagem absurda.»
(In Vinte horas de liteira)

Read Full Post »

«O boi é o quadrúpede que mais se parece com um filósofo. Vê tu o passo mesurado, grave, e cadente de um boi! O olhar meditativo! A sisudez do aspeto!
O ar revelativo de um complicado trabalho intelectual que se está elaborando naquela enorme cabeça! Há grandes filósofos inquestionavelmente menos sérios e cogitativos que o boi!»
(In Vinte horas de liteira)

 

Read Full Post »

Older Posts »