Feeds:
Artigos
Comentários

Convidado: Rui Reininho
Nascido no Porto em 1955, frequenta na adolescência a Cooperativa de Artes LUDUS da cidade do Porto, tendo tido como mestres o pintor e escultor Alberto Carneiro, o musicólogo Jorge Constante Pereira e a coreógrafa Águeda Sena entre outros. Cria e colabora nos projetos musicais Espelho e Atitudes e mais tarde, grava em 1977 o Disco “Anar Band” com Jorge Lima Barreto com atuações em Portugal, na Suíça e na Alemanha.
Frequenta o Curso de Línguas e Literatura Modernas da Faculdade de Letras do Porto e inflete para a Escola Superior de Cinema e Teatro de Lisboa, onde vem a concluir o curso em 1984 na área de Som de Cinema.
Colaborador de programas de opinião na RDP e Rádio Nova do Porto. Programa /Residente na NTV em 2003.
Integra o coletivo musical Grupo Novo Rock em 1981 com quem grava ao longo de 33 anos e 15 discos de originais e efetua mais de um milhar de espetáculos na Europa (Espanha, França, Suíça, Alemanha e Luxemburgo, e claro, Portugal), Brasil, E. U. da América, Canadá e China (Macau).
Em 2005 passa a colaborador semanal do Jornal de Notícias e é agraciado com a Medalha de Mérito Cultural do Estado Português.
Prémio de CARREIRA concedido pelos e nos 25 Anos do Fantasporto.
Edita com os GNR o 12º álbum de originais, Caixa Negra

Filme a exibir

Laura
Realização:
Otto Preminger
Interpretação: Gene Tierney, Dana Andrews, Clifton Webb, Vincent Price, Judith Anderson.
Roteiro: Samuel Hoffenstein, Jay Dratler, Elizabeth Reinhardt
País: Estados Unidos
Ano: 1944
Classificação: M12
Sinopse: Investigando a morte da diretora de uma agência de propaganda, Laura Hunt (Gene Tierney), que teve o rosto destruído por tiros de espingarda, o detetive Mark McPherson (Dana Andrews) interroga Waldo Lydecker (Clifton Webb), seu mentor e um influente jornalista, que considerava Laura não apenas sua maior “criação” mas também sua propriedade pessoal. Laura estava noiva de Shelby Carpenter (Vincent Price), um playboy, para desgosto de Lydecker e da tia de Laura, Ann Treadwell (Judith Anderson), uma mulher rica que era apaixonada por Carpenter. Enquanto a investigação evolui McPherson sente-se atraído pela vítima e, ao ir ao apartamento dela em busca de provas, contempla uma pintura de Laura pendurada na parede. Repentinamente acontece o inesperado, pois Laura surge na sua frente viva e com o rosto sem nenhum ferimento.

Pensamento da semana

«Com o amor não há brincadeiras, minha senhora. Quando o coração empurra, a cabeça vai para diante.»
(In A infanta capelista)

Domingo, dia 19 de abril, às 17h00, o Grupo de Teatro Renascer, de Esmoriz, exibe “Era uma vez o Galo Zinho”, no auditório da Casa de Camilo.
Entrada livre

 

Espírito e graça

«O instrumento de cordas mais dilecto dos paços de nossos reis foi o sino, e tanto que o sr. D. João V comprou o carrilhão de Mafra, que retroa com cento e quinze badalos, por mil e trezentos contos de réis…»
(In A infanta capelista)

 

 

Pensamento da semana

«A monotonia é fastidiosa até na virtude»
(In A vingança)

Dia 11 de abril, sábado, às 21h30 horas, a Nova Comédia Bracarense, apresenta “A mala de cartão”, de José Manuel Barros, no auditório da Casa de Camilo.
Entrada livre.

 

«Revalido por esta carta o que lhe propus com referência ao meu cadáver e ao seu jazigo no cemitério da Lapa.
Desejo ser ali sepultado, e que nenhuma força ou consideração o demova de me conservar as cinzas perpetuamente na sua capela…»
(In carta a Freitas Fortuna, de 06-04-1888)

 

 

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.