Feeds:
Artigos
Comentários

Pensamento da semana

«O templo é a casa da oração; mas a oração é de toda a parte.»
(In Horas de paz)

Primeiro de dezembro

«Desde, que é o nacional, tenho eu muitíssimo, com um grande patriotismo; e, à míngua doutra revelação autonómica, sou pródigo dele no Primeiro de Dezembro…»
(In Ecos humorísticos do Minho)

Pensamento da semana

«A saudade é uma paixão que mata…»
(In Anátema)

«Camilo é um destes escritores que representam uma nacionalidade: a sua obra é a alma de um povo.»
Alberto Pimentel

Pensamento da semana

«… a minha alma é um abismo, onde se esconde o anjo do bem, e a serpente do mal.»
(In Cenas contemporâneas)

Ciclo de Conferências

ESTÓRIAS DO MINHO

Narrativas no Feminino de uma geografia identitária

A MULHER NO MINHO OITOCENTISTA

O caso de Ana Augusta Plácido

Programa

20 de novembro de 2021 – 16h00

São Miguel de Seide – Auditório do Centro de Estudos Camilianos

16h00 – Sessão de abertura

Em representação do Consórcio Minho Inovação:
Marta Coutada – Secretária Intermunicipal da CIM do Ave

Bruno Caldas – Primeiro Secretário da CIM do Alto Minho

Rafael Amorim – Primeiro Secretário da CIM do Cávado

José Manuel de Oliveira – Diretor da Casa de Camilo e do Centro de Estudos Camilianos

Pedro Oliveira – Vereador da Cultura da Câmara Municipal de V. N. de Famalicão

16h10 – Momento musical

Romance – Arthur Napoleon

Piano – Rui Mesquita

Mazurka – E. A. Vianna

Piano – Rui Mesquita

Dança – Diana Leal

16h20 – Conferência

As mulheres na família e na sociedade do século XIX
Irene Maria de Montezuma de Carvalho Mendes Vaquinhas – Doutorada em História e Professora Catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Investigadora Integrada do Centro de História da Sociedade e da Cultura.

16h50 – Momento teatral

Ana Plácido em São Miguel de Seide
Texto de A.M. Pires Cabral

interpretado pela atriz Ana Paula Borges Pinto

17h00 – Mesa Redonda

Irene Maria de Montezuma de Carvalho Mendes Vaquinhas – Doutorada em História e Professora Catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Investigadora Integrada do Centro de História da Sociedade e da Cultura.

Luciene Pavanelo – Professora de Literatura Portuguesa da Universidade Estadual Paulista (UNESP), no Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas do Campus de São José do Rio Preto, São Paulo, Brasil.

João Paulo Braga – Docente e Investigador do Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos da Universidade Católica Portuguesa.

José Manuel de Oliveira (Moderação) – Diretor da Casa de Camilo e do Centro de Estudos Camilianos. Investigador do CITCEM da Faculdade de Letras do Porto.

17h30 – Momento musical

Ó fonte que estais chorando – Francisco Lacerda

Piano – Rui Mesquita

Voz – Maria Gil

Valsa Rosa

Piano – Rui Mesquita

Violino – Mariana Domingues

 
17h45 – Sessão de Encerramento
Pedro Oliveira – Vereador da Cultura da Câmara Municipal de V. N. de Famalicão

A iniciativa tem como objetivos principais fomentar o gosto pela leitura dos textos de Camilo Castelo Branco e proporcionar a partilha de abordagens e de interpretações da prosa do romancista de São Miguel de Seide.

“- Conta-me agora tu uma história – disse António Joaquim
– Eu costumo vendê-las – respondi com o grave e sisudo desinteresse da arte. –  Contava-te um conto bonito, se me desses este brilhante, que me vai cegando como o esplendor de Jeová ao povo escolhido.»
(In História de um brilhante, Vinte horas de liteira)

Download do PDF “História de um brilhante”
http://www.camilocastelobranco.org/doc.php?co=76
Formador: Sérgio Guimarães de Sousa
A sessão realizar-se-á na plataforma Zoom
Inscrição para o endereço eletrónico: geral@camilocastelobranco.org

Pensamento da semana

«A couraça do talento, retemperada pela honra, é impenetrável.
(In Nas trevas)

Visitas condicionadas

Por motivos relacionados com obras de reconstrução e beneficiação da Casa de Camilo – Museu, as visitas a realizar a esta unidade museológica estão condicionadas. O visitante encontrará o mobiliário protegido em ordem a ser possível os arranjos interiores da moradia e a conservação preventiva dos bens culturais expostos.

Lamentamos os incómodos causados e solicitamos a melhor compreensão de todos.

Pensamento da semana

«Coração toda a gente o tem; mas cabeça … isso é raro…»
(In A Infanta capelista)