Feeds:
Artigos
Comentários

Pensamento da semana

«Há uma velhice que nos passa do coração para o rosto… é a saudade…»
(In Livro da consolação)

Anúncios

Espírito e graça

[…] No meio destas angústias, falta-me só uma: eu não me importo que o banco ultramarino desse à luz mais 4 ladrões inéditos; não me importo que a sociedade se dissolva; o que muito sinto é ter eu de me dissolver; e sinto também que o meu amigo Carvalho [o seu genro] não abunde nas mas ideias. Diz-lhe que o pior é ter a gente de deixar o mundo amanhã ou depois, com a mesma dose de patifes que cá estavam quando entramos. Diz-lhe que a espécie humana foi sempre assim: que no século passado os ladrões eram os nobres que vampirizavam o sangue das classes inferiores; hoje são os burgueses que se estão devorando uns aos outros, porque não há fidalgos que delapidar, nem clero que mandar mendigar, nem povo que se preste a ser roubado. Diz-lhe que as civilizações são todas fatalmente assim. Atribuir a crise social ao luxo é o mesmo que culpar o dezembro por que ele é frio. Não está nos homens o vício: está na instituição. A humanidade vai arrastada por uma onda; mas la virá a ressaca, a reação que a reponha em mar menos aparcelado.

A França já teve três cataclismos e está vigorosa, rica, cheia de indústrias e de desmoralização. Esta ultima qualidade não é boa; mas é fatalmente necessária. Portugal é o país da Europa menos exposto aos grandes cataclismos, e por isso mesmo a nossa prosperidade há de manter-se sempre na mediania em que está. Se fossemos infelizes, ter-se-ia manifestado a febre revolucionaria, o regicídio, os terríveis clamores da fome. O que temos é muitíssimo ladrão […]

 (In Carta de Camilo a sua filha Bernardina Amélia)

 

 

Pensamento da semana

«A inspiração é a minha sabedoria…»
(In Noites de insónia)

ATRIBU(TU) – O Ensaio Sobre a Perdição, 16 Junho, às 21h30, no Centro de Estudos Camilianos

Santos e Romarias

“De médicos, nem sangrias
Nesta idade, não curemos.
Boas são as romarias,
De mais longe, e sem Marias
Por que não nos mariemos”

(In A Corja)

 

 

Pensamento da semana

«Eu considero honrada a inteligência universal por aqueles que empregam em enriquecer-se.»
(In Vinte horas de liteira)

Associando-se às Festas da Cidade, que decorrem anualmente a 13 de Junho, dia de Santo António, a Casa de Camilo promove uma Caminhada Camiliana entre a Praça 9 de abril, Vila Nova de Famalicão e a Casa de Camilo, Seide São Miguel, proporcionando aos participantes algumas surpresas agradáveis durante o trajeto.

Programa:

9h30 – Concentração Praça 9 de Abril

12h00 – Chegada a Seide S. Miguel (hora prevista)

 

Organização:
Município de Vila Nova de Famalicão / Casa de Camilo

Colaboração:
Junta de Freguesia de S. Miguel de Seide

Associação Cultural de Vermoim

Fraternidade de Avidos

Grucamo (Grupo de Caminheiros de Montanha)

Grutaca (Grupo de Teatro Amador Camiliano)

Greculeme (Grupo Recreativo e Cultural de Lemenhe)

Patrocínio:
Carnes Primor

Vieira de Castro