Feeds:
Artigos
Comentários


A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, através da Casa de Camilo e do Gabinete de Assuntos Comunitários, vai promover, no próximo dia 6 de outubro, pelas 10h00, no auditório da Casa de Camilo – Centro de Estudos, em São Miguel de Seide, uma mesa redonda subordinada ao tema O Património Camiliano: Que requisitos para uma rota turística?

O debate será moderado por Carlos Martins (Opium) e a mesa constituída pelos seguintes elementos:

– António Ponte, Diretor Regional de Cultura do Norte.

– Melchior Moreira, Presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal.

– Carmen Jiménez Sanz, Direção da Promoção Cultural da Comunidade de Madrid.

– José Augusto Moreira, jornal “Público”.

– José Manuel Oliveira, Diretor da Casa de Camilo.

A iniciativa enquadra-se na intenção da autarquia famalicense liderar, em colaboração com os membros da Associação das Terras Camilianas e com representantes de outros municípios e entidades da região norte que estejam direta ou indiretamente relacionados com a vida e a obra do romancista, um projeto de valorização do património camiliano como produto de interesse turístico-cultural.

Nesta fase prévia do projeto, procurar-se-á suscitar a reflexão e o debate sobre os aspetos de sucesso a atender na estruturação e desenvolvimento de uma rota turística e cultural em torno do escritor, e avaliar as potencialidades da valorização da biografia, da bibliografia e do património arquitetónico camilianos como recursos de interesse turístico.

 

 

 

 

 

 

 

 

Fim do verão

«Saí de Soutelo no fim do verão.

Silvestre acompanhou-me aos banhos da Póvoa, e já vinha com todos os sintomas de caquexia, resultante da imobilidade, e cansaço das molas digestivas. Retirou-se para a província, logo que os primeiros banhos, e as primeiras perdas ao jogo lhe molestaram o corpo e o espírito.»
(In Coração, cabeça e estômago)

 

Pensamento da semana

«O amor tem céus e resplendores que banham de luz as mais tristes almas.»
(In O olho de vidro)

 

Convidado: Adolfo Luxúria Canibal (Luanda, 25 de Dezembro de 1959), de nome de batismo Adolfo Augusto Martins da Cruz Morais de Macedo, é um advogado, músico e poeta português.

Adolfo Luxúria Canibal nasceu em Luanda, Província Ultramarina de Angola. Cresceu entre Vieira do Minho e Braga e em 1978 mudou-se para Lisboa, para estudar Direito. Viveu em Lisboa de 1978 até 1999, onde, após terminar o curso de Direito, exerceu a advocacia e a consultoria jurídica. Na qualidade de especialista em Direito do Ambiente foi orador convidado em diversos congressos e seminários, portugueses e estrangeiros, e professor em cursos de formação, de pós-graduação e de mestrado. Integrou de 1993 a 1999 um Grupo de Peritos Jurídicos da Convenção de Berna, junto ao Conselho da Europa, em Estrasburgo. No final de 1999 foi habitar para Paris, cidade onde praticou diversos misteres, como tradutor, ator de figuração, gerente comercial, jornalista, cronista, voz para telemóveis, estudos de mercado, crítico musical ou gestor liquidatário de sociedades cinematográficas. No final de 2004 regressou a Braga e à consultoria jurídica, cidade onde reside atualmente.

Foi considerado, em 2003, pelo semanário Expresso, como uma das cinquenta personalidades vivas mais importantes da cultura portuguesa. Em 2011, nas Comemorações do Centenário da Universidade de Lisboa, foi um dos 100 ex-alunos convidados para proferir uma palestra no ciclo 100 Lições, a que deu o título Profissão: Diletante. Da Música à Conservação da Natureza.

Filme a exibir: Satyricon de Fellini

 


É um filme italiano de 1969 dirigido por Federico Fellini, baseado no livro homónimo escrito pelo autor romano Petrônio no século I.
A história narra as aventuras e desventuras de Encolpio e Ascilto, pelo afeto de Gitão (Gitone), que após ser vendido a um ator de teatro, é resgatado por Encolpio mas escolhe ficar com Ascilto. Rejeitado, Encolpio é salvo do próprio suicídio por um terremoto, e a partir daí começa uma jornada que tem por pano de fundo uma galeria de artes onde conhece o poeta Eumolpo, e o acompanha até um bacanal promovido por um aristocrata com pretensões artísticas, mas que despreza a própria esposa pela companhia de um menino.

Género: Drama
Direção: Federico Fellini
Roteiro: Bernardino Zapponi, Brunello Rondi, Federico Fellini
Elenco: Hiram Keller, Mario Romagnoli, Martin Potter, Max Born, Salvo Randone
Duração: 138 min.
Ano: 1969
M/16 anos

Pensamento da semana

«O pudor sucumbe ao despotismo do coração.»
(In O livro negro de padre Dinis)

Espírito e graça

«- Ora, meu amigo, vamos a isto. Estou farto de palavreado. Obras, obras é que se quer. Seja homem, e atenda lá ao que lhe vou dizer…»
(In A Infanta Capelista)

 

Pensamento da semana

«Cada terra com seu uso. Tudo que é desacostumado causa reparos e juízos temerários.»
(In Mistérios de Fafe)